Guia: 25 de março


Ok, esse não é o guia mais fino que você já leu e muito menos o mais criativo. Mas, descobri que se você tem vontade de se aventurar por essa rua tão famosa, é preciso ir preparada para algumas “surpresas”.

Segundona, resolvi pela primeira vez me jogar na 25 e desfrutar do paraíso (quase) paraguaio que São Paulo oferece. Comecei me surpreendendo pela facilidade que é chegar até lá, nunca tinha parado para ver como chegava e não acreditei que demorei tanto tempo para ir até lá, sendo que é só pegar a estação São Bento.

Chegando lá, me senti em outro universo, é muito engraçado a gritaria e a movimentação de gente, mas não acreditei que seria diferente. Quando vi a primeira loja que me interessei, foi meio surreal, não sabia o que fazer, se olhava, se comprava, se olhava e depois voltava. Fiquei meio sem rumo, confesso.

Faça listas 
Antes de qualquer coisa, indico que a pessoa que queira ir para a 25, faça uma listinha de prioridades, para se focar nesses itens e não se perder lá. Foi o que eu NÃO fiz, fui em busca de compras e acabei perdendo o foco, me vi entrando em floricultura apenas pelo prazer de olhar, sem nem saber o que estava fazendo direito.

Referente à preços
Aos que juram que ao pousar na 25 vão achar tudo de graça e com 10 reais vão levar até o balcão da loja: não se enganem. As coisas são baratas para os comerciantes, que compram 200 peças do mesmo produto. Para nós, pessoas físicas não tem nada quase de graça (pelo menos, não das coisas que me interessei) É claro que tem as cafonisses 1,99. Mas, se você está afim de coisas de, digamos, “bom gosto”, vá preparado, porque não tem nada quase de graça. Claro que se formos comparar com as lojas normais, a economia é garantida, mas, lembre-se que para essa economia se concretizar você vai precisar de tempo, sapatos confortáveis, paciência e dinheiro, sempre.

Mínimo de Compras
Muitos já sabem que todas as lojas (ou 95%) exigem um valor mínimo de compras, a maioria é de R$ 30 ou R$ 50. Então não vá achando que vai comprar um anelzinho ali, um brinquinho lá, que você vai ter que deixar um mínimo de dinheiros em cada lojinha que quiser efetuar uma compra. (Na maioria das vezes compensa, claro). Sem contar as lojas que são apenas de atacado e que nós meros mortais não podemos comprar nelas.

Camelôs
Se jogue nos camelôs. Obviamente como em todos os lugares do Brasil, são eles que possuem as coisas baratinhas, os badulaques a preço de banana. Mas, não sei se foi impressão minha, no dia que eu fui (segunda feira) não vi muitos por lá não, tinha bastante, mas não lotado, como costumo ver pela TV e etc.

O fundamental
Não se esqueça do mais importante: vá com tempo e sem namorado, ele pode te amar muito e só querer sua felicidade, mas não agüenta mais que uma hora ao seu lado, olhando lojas de coisas só pra meninas.

Estava sem celular (e sem câmera) e não pude registrar nada, não tenho o nome de nenhuma das lojas boas que visitei, porque, sinceramente, fiquei em um estado que não é normal, FIQUEI ATORDOADA e para terem uma ideia: NÃO COMPREI NADA. Nem uma agulha gente, NADINHA. Fui com a intenção de gastar a minha vida lá e não consegui me decidir por uma bijuzinha para contar história. Mas, procurei na internet algumas das coisas que ficaram na minha cabeça e estão me dominando horrores para voltar lá HOJE e efetuar as compras. Na hora, algumas não achei muito baratas não, até repensei se fosse mesmo o caso de adquiri-las, mas depois da minha breve pesquisa na internet, vi que é bastante vantajoso comprar na 25 e que os produtos são IDENTICOS.

Alguns produtos:

 Esses anéis foram o que mais mexeram com meu psicológico e estou abalada até agora por não ter conseguido comprar nada. Na 25 eles estavam entre 27 e 40, na internet FACILMENTE beiram uns 70 reais.

Anúncios